+ Livros

O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA EM TEMPOS DE INCERTEZA

A crise que vivemos é fruto da maior de todas as guerras: a luta pelocontrolo mental do ser humano.

O dinheiro e os bens de consumo estão desmaterializados na forma de insights, de experiências, em conceitos psicológicos. Igualmente, quando mal usadas, a PNL, o coaching, o neuromarketing, a hipnose, a publicidade, a espiritualidade sem esforço… concorrem para esse mesmo espaço de manipulação. E, vamos perdendo as nossas raízes, a nossa origem, o nosso Ser…   

Por ser urgente reabilitar o real, então, “Viva a Crise!”. Só assim o futuro deixará de ser uma mera desculpa. Por isso, hoje há gente na rua, indignada, revoltada, capaz de morrer na defesa do óbvio. É aqui que a espiritualidade se torna incontornável. Só essa energia permitirá enfrentar todo o tipo de problemas com o distanciamento necessário, partindo da origem sempre presente, colocando-nos numa metaposição sagrada, retornando ao trilho da autenticidade. 

Para contactar com o autor PAULO VIEIRA DE CASTRO  : geral@paulovieiradecastro.pt

 Para saber mais: http://www.revistazen.pt/produto/viva-a-crise/

 

GESTÃO SAMURAI - SERVIR PARA LIDERAR

A palavra Bushi (Samurai) significa aquele que serve (Servir). Para dar corpo a esta determinação no cora- ção do Samurai não poderá existir dor. Daí a necessidade de uma nova liderança onde se promova um estado de consciência pura e ilimitada. Este livro pretende formar, antes de mais, executivos de si mesmo, trazendo espaço para lideranças mais robustas, transpessoais, conduzidas pelo ideal de estar integralmente ao serviço da comunidade. O executivo de si mesmo, ao exercer a sua liderança pela inteligência dar. Estas são palavras que parecem impraticáveis no mundo dos negócios? A palavra Bushi (Samurai) significa aquele que serve (SERVIR). Para dar corpo a esta determinação no coração do Samurai não poderá existir dor. Daí a necessidade de uma nova liderança onde se promova um estado de consciência pura e ilimitada.

Este livro pretende formar, antes de mais, executivos de si mesmo, trazendo espaço para lideranças mais robustas, transpessoais, conduzidas pelo ideal de estar integralmente ao serviço da comunidade. O executivo de si mesmo assume que liderar é servir, partindo sempre da sua realidade interior, a mais exclusiva, mais original. Esta é a única dimensão onde a autenticidade poderá ser – verdadeiramente – encontrada. Ser genuíno é o maior desafio que se pode lançar à espécie humana. Assim se explica a importância da transcendência como referência estratégica central no que respeita o conduzirse a si mesmo no mundo empresarial. Mas, nada disto poderá significar a perda do rigor intelectual ou a reverência crédula despojada de sentido crítico, infelizmente tão comuns nos nossos dias quando falamos de espiritualidade.

Concentrando-se no inconsciente organizacional, esta produção energética, deverá ser administrada como forma de aumentar a nossa capacidade relacional; gerir a alma da relação. A espiritualidade não é uma mera contemplação é a mais firme responsabilidade. Isto em especial nas organizações.

Para contactar com o autor PAULO VIEIRA DE CASTRO  : geral@paulovieiradecastro.pt 

Para saber mais : https://www.wook.pt/livro/gestao-samurai-servir-para-liderar-paulo-vieira-de-castro/14769479

 

GESTÃO SAMURAIGESTÃO SAMURAI [2.047 Kb]

DHARMA MARKETING : A QUARTA VAGA DO MARKETING RELACIONAL

Neste modelo estratégico agimos ao nível do conflito psicológico anterior à vontade humana, concentrando-nos, deste modo, no que é precedente à intencionalidade. Assim, no Dharma Marketing trabalhamos a um nível anterior ao conflito psicológico, concentrando-nos no que precede a intencionalidade, ou seja, no que é anterior às necessidades e à motivação.

Dharma é para os budistas o que guia a mente. Para os hindus dharma é fazer o que é certo. O que tem de ser feito. No caso em mãos pretende-se estabelecer condições propícias para um Homem que procura - também - nas relações profissionais, ganhos ao nível exclusivo/interior. Cabe pois ao Dharma Marketing aumentar a atracção, removendo os obstáculos mais íntimos, facilitando a interdependência aos que procuram o nexo que assiste a uma permanente e efectiva dinâmica integrada e reciprocamente complementar, da evolução económica, humana, social, se obviamente acompanhada de um recentrar da prática da consciência.

O budismo e o marketing, encontram-se na sua intenção, numa mesma linha de propósito, onde o primeiro procura patrocinar a cessação do sofrimento e o segundo elevar a satisfação dos seus públicos relacionais. Claro que do ponto de vista dos modelos de acção existe uma enorme dispersão de métodos operacionais. No marketing de proximidade real a espiritualidade facilita a criação de uma imperceptível teia: o inconsciente organizacional. Estamos, pois, perante uma forma sustentada de revolução.

 

Para contactar com o autor PAULO VIEIRA DE CASTRO  : geral@paulovieiradecastro.pt 

Para saber mais : http://www.publicacoesmaitreya.pt/produto_detalhe.php?pr=611

MARKETING EM CONTEXTO DE MUDANÇA

 

Resultado dos encontros realizados na Univeridade Lúsiada ( Porto ) com o mesmo nome, este livro acontece  num mundo que então se começa a pensar a partir de  decisões de consumo resumidas iminentemente às ligaçaões emocionais com marcas e outros elementos de status, rareando valores essenciais a um entendimento de proximidade real.

Nesta compilação Paulo Vieira de Castro apresentou, em traço largo, a quarta vaga do marketing relacional : Dharma Marketing.

Para conhecer os outros autores deste livro consulte o ficheiro anexo por favor.

Para contactar com o autor PAULO VIEIRA DE CASTRO  : geral@paulovieiradecastro.pt 

Para saber mais sobre esta compilação de textos contactar a Editora da Universidade Lúsiada ( LIsboa )  : http://editora.lis.ulusiada.pt/livros.htm

ECONOMIA E ESPIRITUALIDADE - REFORMANDO O MUNDO DOS NEGÓCIOS

 

Colocar a economia no seu devido lugar, voltando-a para o ser humano, prescindindo das suas próprias normas como fim último, solidificando a mesma em sintonia com a espiritualidade madura como fio condutor, sem deixar de tornar a economia dinâmica, crescendo sustentavelmente, para o bem da humanidade como um todo. " Precisamos colocar os pés no chão. Não existe economia ou desenvolvimento que cresça infinitamente. Esse é o papel da Espiritualidade no Mundo dos Negócios, ou seja, ser sempre uma luz que alerta para tudo o que é passageiro e factivel".

Esta é uma obra que resulta do encontro entre o padre e filósofo Ary Antônio da Silva e o português, consultor de empresas, Paulo Vieira de Castro.

Para contactar com o autor PAULO VIEIRA DE CASTRO  : geral@paulovieiradecastro.pt